Confira as empresas que participarão do Dia D do Feirão do Imposto

Neste sábado (25/05) acontece o Dia D do Feirão do Imposto, ação em que estabelecimentos comerciais de Campo Grande venderão produtos com isenção de tributos ao consumidor. A iniciativa, realizada pelo Conselho de Jovens Empresários (CJE) da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), reúne mais de 20 empresas dos segmentos alimentício, cosméticos, vestuário, farmacêutico, acessórios, serviços de beleza, entre outros. “Os estabelecimentos vão comercializar alguns produtos sem a cobrança de impostos e destacarão o valor dos tributos na formação do preço do produto, para demonstrar ao consumidor o quanto é cobrado pelo governo para que o cidadão adquira o item ou serviço que precisa”, explicou o coordenador do CJE, Willyan Francescon.  Além de Mato Grosso do Sul, outros 16 estados brasileiros estão participando da campanha, criada pela Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje), a fim de chamar a atenção para os altos impostos que afetam o dia a dia dos cidadãos e dos negócios. Empresas participantes A Casa Blanca Adega Bistrô comercializará chopp 340 ml por R$ 5,99. Fora da ação, o produto custa R$ 16,00. O restaurante está situado na R. Euclides da Cunha, 89, e o atendimento ocorrerá das 11h30 até as 22h30. Mais informações podem ser obtidas pelo número 99224-7747. O Pátio Central Shopping terá quatro lojas com itens selecionados disponíveis para os consumidores. A Badulaque apresentará brincos, colar e óculos, com reduções que variam de 40% a 66% nos preços. A First Class Home disponibilizará lençóis de solteiro e de casal, além de um tipo de tapete, com isenções de tributos oscilam de 21% a 26% no valor final do produto. A Chilli Beans terá quatro modelos de óculos com 15% de desconto, referente à retirada do imposto. A Anita Shoes também aderiu à ação e vai oferecer alguns produtos sem tributos. Ainda no Centro da cidade, a loja de roupas de ginástica Dasfit, na 7 de setembro, 1090, disponibilizará peças selecionadas sem impostos. O funcionamento será das 9h às 13h e mais detalhes podem ser obtidos pelo número 67 99904-7696. A Moniday, loja de aviamentos e artesanato localizada na Rua Maracaju, 388 – Centro, também participa da ação com alguns itens. O atendimento será das 7h30 às 17h. Mais informações pelo telefone 99605-1791. Serviços de beleza também integram a ação. O Studio Immanuelle Abraão Hair oferecerá unha acrílica com redução de 20% no preço e tratamentos capilares com até 30% de isenção. A empresa fica na Av. Dona Otilia Barcelos,531 no Jardim Jacy. O atendimento ocorrerá das 9h às 18h e mais detalhes podem ser obtidos pelo número 99343-0072.  O Studio Milena Ferreira, situado na Travessa Nelson Prudêncio,79, no bairro Vilas Boas, é outro estabelecimento que oferecerá tratamentos capilares sem imposto. O atendimento será das 7h às 18h. Mais informações pelo telefone 99102-2630. O segmento farmacêutico também participa esse ano. As 8 unidades da Farmácia Ultra Popular terão itens diversos com isenção do imposto. Os estabelecimentos estão localizados na Rua Doutor Arthur Jorge, 1836 – Centro; Rua Raquel de Queiroz, 928 – Aero Rancho; Rua Ministro José Linhares, 1014 – Vila Almeida; Rua Olímpio Klafke, 728 – Mata do Jacinto; Av Manoel da Costa Lima, 1492 – Piratininga; Av Tamandaré, 4682 – Jardim Seminário; Rua Yokohama, 1110 – Santo Amaro e Av Guaicurus, 3920 – Universitário. As lojas Zamanda Joias e Duzani Lingerie disponibilizam peças selecionadas sem o valor de impostos. Os estabelecimentos estão situados no mesmo endereço: Avenida Eduardo Elias Zahran,3.032, sala 11, e funcionarão das 8h às 11h30. Consumidores podem ter mais informações pelo telefone 99921-7954. Alimentação Empresas do segmento alimentício oferecerão produtos do cardápio com preços reduzidos. O Funky Fresh, situado na Travessa Ana Vani, 51 – sala comercial 01, apresentará a bebida cappuccino cacau, o prato tomato sun-dried risoto (sem proteína) e o drink moscow mule como opções sem impostos aos consumidores. O atendimento ocorrerá das 11h às 23h. O Gairdín Campo Grande disponibilizará o sanduíche Chicago, chá de frutas silvestres e café espresso. O estabelecimento funciona das 14h às 19h30 e está situado na R. Jerônimo Paes Benjamin, 91, Jd. São Bento. O Bifão da Coophasul e o boteco do Bifão também aderiram ao propósito da ação e oferecerão o bifão acebolado isento de impostos. As unidades funcionam, respectivamente, na Rua Cotagipe, 923, Coophasul e Rua Euclides da Cunha, 1.102, Jardim dos Estados, das 11h às 22h. Os restaurantes Vila Raiano Massas e Pizzas e Terroir Vino e Cucina, localizados respectivamente na Av. Mato Grosso, 2505 – Vila Suissa e Rua Vitório Zeolla, 735, Carandá Bosque, oferecerão pratos selecionados na ação, assim como o Bella Vecchia Parmê e Pizza, que atenderá exclusivamente pelo Ifood. Detalhes podem ser obtidos pelo telefone 98202-5736. O mercado natural Green Souk também disponibilizará produtos selecionados sem o valor dos tributos. O estabelecimento funciona das 8h às 13h, na Rua Marquês de Lavradio, 380, Tiradentes. Informações pelo número 98146-0154. Carga Tributária Até 24 de maio, os brasileiros já pagaram R$ 1,4 trilhão em impostos aos governos federais, estaduais e municipais. Os sul-mato-grossenses foram responsáveis por arrecadar mais de R$ 1,5 bilhão desse montante, segundo informações do Impostômetro.

Dívidas com a conta de luz podem ser negociadas na Campanha Nome Limpo a partir de segunda-feira

Na próxima semana, clientes com contas de energia em atraso poderão negociar na Campanha Nome Limpo, promovida pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) com o intuito de auxiliar quem está inadimplente a regularizar suas dívidas com diversas empresas. De 11 a 15 de dezembro, a Energisa terá atendimento presencial das 8h às 17h, – sem intervalo – na sede da ACICG, situada na Rua 15 de Novembro, 390, em frente à Praça Ary Coelho, na Capital. A empresa oferecerá condições especiais de pagamento com entrada facilitada e parcelamentos flexíveis e os clientes interessados em negociar deverão comparecer munidos de documento pessoal com foto. Conciliações online A 3ª Campanha Nome Limpo Estadual começou no dia 20 de novembro promovendo conciliações para negociação de dívidas de forma online com outras nove empresas da Capital, Naviraí, Dourados e Maracaju. A expectativa da ACICG é recuperar R$ 2 milhões para a economia de Mato Grosso do Sul. Até o final da campanha, serão esperadas cerca de 300 audiências virtuais de conciliação que são previamente agendadas pela ACICG com os clientes inadimplentes das empresas participantes. “Por meio de uma listagem fornecida pelos estabelecimentos, convidamos consumidores inadimplentes via e-mail, telefone, whats app para regularizarem suas dívidas. Essas empresas contam com o apoio de um conciliador capacitado pelo Tribunal de Justiça que conduz as audiências por videoconferência, aumentando as chances de um acordo”, explica a coordenadora da Campanha Nome Limpo, Paola Nogueira. Participam na modalidade online as empresas: Sesc, Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Loca Mais e Medical Center situadas em Campo Grande; Colégio Conexão II e Ótica Soliessi de Maracaju; Odontocompany e Lojas Oriente de Naviraí; e duas unidades da escola de idiomas Fisk, de Dourados. Benefícios à economia O presidente da ACICG, Renato Paniago, esclarece que a campanha é mais uma oportunidade para auxiliar empresas e consumidores e, também, fortalecer a economia local. “As negociações realizadas possibilitam às empresas o recebimento de recursos financeiros que estavam perdidos. Ao regularizar as dívidas, o inadimplente volta a ter poder de compra e ser um cliente ativo nessas empresas, o que reflete na manutenção ou aumento do consumo, contribuindo para o aquecimento das vendas no final de ano. Tudo isso favorece para que o dinheiro volte a circular na economia”, declara. Serviço gratuito Durante a Campanha Nome Limpo, que termina em 15 de dezembro, a ACICG espera atender mais de 1,5 mil consumidores consultando o extrato de negativação de débitos. A versão simplificada da consulta pode ser feita gratuitamente, informando o CPF no balcão do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), que fica dentro da entidade.

No aniversário de 97 anos, ACICG celebra a conquista de 9 mil associados

Em março, a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) comemora 97 anos de história representando e defendendo a classe empresarial da Capital. O aniversário de fundação foi celebrado no dia 23 de março, em uma noite festiva que reuniu diretores, colaboradores e associados na sede da entidade, situada no Centro da Capital. O encontro ainda destacou mais uma conquista: a marca de 9 mil empresas associadas, consolidando a ACICG como uma das associações comerciais com maior número de membros e representatividade no País. O presidente da casa, o empresário Renato Paniago, destacou o papel da entidade e o trabalho que vem sendo realizado para fortalecer e ampliar o reconhecimento e a sua influência do setor empresarial nas áreas política, econômica e social. “A entidade nasceu em 1.926 por um grupo de empresários que estavam insatisfeitos com a política tributária e até hoje atuamos em questões ligadas à carga tributária do país que tanto afeta os empresários e a sociedade. Mas, além disso, temos dialogado com diversos órgãos da esfera pública, sendo porta-vozes de assuntos que impactam o desenvolvimento das empresas de todos os tamanhos e segmentos. A ACICG está ativa na defesa do setor”, declarou Paniago. A liderança também evidenciou que o trabalho da ACICG é feito por diversos diretores, que são empresários voluntários que dedicam seu tempo em pautas que visam o benefício coletivo do setor. “Agradeço a todos os empresários, associados e equipe de colaboradores que auxiliam diariamente para apoiar o desenvolvimento do setor empresarial”, completou o presidente da entidade. Além da representatividade e o associativismo, Paniago evidenciou que a ACICG auxilia o empresariado disponibilizando diversas soluções para a rotina operacional do negócio, como por exemplo, produtos de telefonia, certificação digital e análise de crédito e cobrança, capacitações e treinamentos, recrutamento e seleção. Há um portfólio de serviços na área de saúde, como atendimentos de medicina do trabalho e planos de saúde e odontológico, além de benefícios de lazer, por meio da Colônia de Férias.  A rede de contatos também é grande vantagem, pois o network fomenta parcerias e potencializa a geração de negócios. Soluções na área financeira também estão no escopo da entidade, entre vários outros serviços. 9 mil associadosO evento também destacou a filiação da empresa de número 9 mil. O empreendedor Daniel Cavalheiro conta que a Vettor Soluções Empresariais nasceu dentro da ACICG, após discussões e insights obtidos em encontros do Conselho de Jovens Empresários, do qual participa. Em uma das reuniões ele conseguiu identificar uma oportunidade de solução para a área financeira das empresas e a partir disso estruturou a ideia, que acabou resultando em um novo negócio. “Qualquer empresário quando for iniciar um negócio deve vir para a Associação Comercial, principalmente pela conexão. Há cerca de dois anos eu faço parte da casa, pois tenho outras empresas. Isso agregou muito no meu negócio, em conhecimento, networking, e outros benefícios. Estou muito feliz e honrado em participar”, concluiu Daniel. ServiçoInteressados em se associar, podem contatar a ACICG pelo telefone (67) 3312-5000.

Associação Comercial alerta para golpe de falsa cobrança

Empresários da Capital estão recebendo cobranças falsas caracterizadas como “notificação extrajudicial”.  O documento é enviado por email e cita como credor uma organização que não existe: a Associação dos Empreendedores de Campo Grande. As falsas notificações chegaram esta semana a associados da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande, que buscaram a entidade em busca de informações. “Ao tomarmos conhecimento do fato, vimos que se tratava de uma fraude. Contatamos a Anoreg/MS (Associação dos Notários e Registradores do Estado de Mato Grosso do Sul), e confirmamos que os dados sinalizados no documento correspondem a um cartório que não existe”, informou o primeiro-secretário da ACICG, Roberto Oshiro. A dívida falsa chega por e-mail e o conteúdo descritivo da cobrança utiliza termos jurídicos, o que favorece uma interpretação de que a cobrança pode ser real. Além disso, o golpista solicita que o pagamento seja realizado via PIX, além de alertar sobre possível processo caso não seja efetuada a quitação. A taxa que estaria sendo cobrada corresponde à filiação da empresa à fictícia associação de empreendedores. O email é assinado por Rodrigo Silva, identificado como um profissional do Serviço de Registros e Processamento Extrajudicial de Títulos. O email também traz como anexo o documento de pagamento, em que consta o QR code e um código para o valor ser pago via pix. O arquivo ainda reúne várias informações, como os dados da empresa local, da falsa organização emissora da dívida, além de outros elementos, como brasão da República e a marca d’água, que, em primeiro momento, podem gerar uma impressão de credibilidade. Roberto Oshiro, alerta que em caso de recebimento de uma notificação de cobrança com essas características, o ideal é desconsiderá-la. “E caso tenha sido feito o pagamento, é importante procurar a Polícia para fazer um boletim de ocorrência”, explicou. Nesta semana a Anoreg/MS também alertou a população sobre o fato em suas redes sociais. De acordo com a entidade, “ao receber uma intimação de um cartório de protesto, mas não conhecer a origem do débito, ou até mesmo o credor, o cidadão procure pessoalmente o cartório de protesto de sua cidade para se informar e saber do que se trata”.

ACICG integra reunião do Conselho Deliberativo da CACB

*Com informações da CACB Nesta segunda-feira (05/12), o Conselho Deliberativo da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) realizou sua última reunião de 2022, em Porto Alegre, na sede da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande Sul (Federasul). O evento contou com a participação da Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), representada pelo primeiro-secretário da entidade, Roberto Oshiro. Na ocasião, o presidente da Confederação, Alfredo Cotait Neto voltou a criticar a PEC da transição, que prevê o gasto de R$ 200 bilhões fora do teto para o pagamento do Auxílio Brasil de R$ 600. “Não somos contra o auxílio, pelo contrário, mas usá-lo como argumento para infringir uma decisão anterior, de uma emenda constitucional, não é certo. Temos de nos posicionar contrários, independente de como isso for caminhar”, declarou. Cotait completou dizendo que a PEC é “danosa ao país” e que, neste momento, as entidades de representação empresarial devem ampliar sua ação, ou todo esforço que foi feito pela reforma da Previdência, vai por água abaixo apenas nesta ação. “Peço a todos da nossa Diretoria que acionem sua rede de Associações Comerciais, para que eles façam contato com deputados e senadores alertando sobre o risco que seria essa aprovação”, solicitou. Neste sentido, informou o superintendente da CACB, Carlos Rezende, que a entidade enviou uma carta a todos os deputados, informando seu posicionamento e reforçando o apoio ao Auxílio Brasil, mas com recursos oriundos do orçamento. Outro tema posto na pauta foi o PL 108/2021, que enfrenta dificuldade para ser aprovado na Câmara dos Deputados. “Temos que aprovar pelo menos a ampliação do teto do MEI este ano, isso é fundamental. Se não der, incluímos a micro e a pequena empresa em outro projeto, para o ano que vem”, disse Cotait. O vice-presidente da CACB e presidente da Federasul, Anderson Trautman Cardoso, chamou a atenção para importância de se concentrar forças também no PL 127/2021, que prevê uma simplificação na cobrança do ICMS. Nesse caso, se o faturamento da empresa atinge o sublimite estadual do Simples Nacional, as empresas devem pagar o ICMS e o ISS por fora. Segundo Anderson, também coordenador do Comitê Jurídico da Confederação, existem bons subsídios e projetos já mapeados pelo grupo, que devem ser protagonizados pela CACB. “Somos a entidade com maior possibilidade de movimentação de pautas que reflitam no desenvolvimento econômico do país, com um espaço que poucas vezes vimos no cenário nacional”, afirmou. Por fim, ele lembrou da importância das reformas administrativa e tributária para o cenário dos próximos anos. Para Anderson, o novo governo não deve ter esses temas como projeto central e que, mesmo que a tributária venha, pode vir com aumento de carga, ponto que a CACB se opõe desde o início das discussões referentes ao tema. “Precisamos firmar posição neste momento, para vincular nossa opinião a outras que virão no futuro, também quando falamos da PEC da transição. Não devemos apenas criticar, mas apresentar alternativas”, completou. O presidente da CACB sugeriu, então, a formulação de uma pauta prioritária para 2023, com projetos de interesse favorável ou contrário às Associações Comerciais, para ser apresentada ainda este ano, às entidades da rede e à imprensa, para que fique claro o posicionamento que se tem sobre cada tema. “Um texto consensual, para que todas as nossas entidades possam apoiar, e que inclua, entre outros temas, as reformas estruturais”, propôs. Outro assunto que teve espaço na pauta foi a criação da empresa, de capital fechado, em que os sócios seriam a CACB, Federações, Associações Comerciais e parceiros estratégicos, com o objetivo de fortalecer a rede. De acordo com o superintendente Administrativo da CACB, Claudio Queiroz, a empresa terá um viés mais tecnológico, para ofertar produtos e serviços, mas também para ensinar as entidades a venderem e a terem condições de se desenvolver e evoluir. “E isso inclui a ampliação de receitas e a valorização da rede”, disse. O presidente Cotait garantiu que a empresa será constituída ainda este ano, para que logo seja definido o modelo de negócio e ela passe a operar, de fato. “Estou apostando muito nisso, porque, tenho certeza, esse é o caminho que vamos traçar para fortalecer a CACB e, ao fim do nosso mandato, estarmos com ela organizada e com subsistência”, afirmou. Parceria com o Sebrae Em participação virtual, o diretor Técnico do Sebrae Nacional, Bruno Quick, destacou a legitimidade da CACB, pelo fato de as ACEs serem entidades de representação de livre adesão, incluindo todos os setores da economia, o que a leva a ter uma visão sistêmica, matricial, fundamental para instituições que querem fomentar competitividade e produtividade. “Discutíamos há pouco os desafios que teremos para o ano que vem e não há nenhum deles que não passe por uma rede com presença capilar e com capacidade de identificar problemas, formular respostas, articular parcerias e concretizar entregas. A força do Sebrae está nas suas parcerias e, para nós, não há parceria mais oportuna e sinérgica do que com o sistema CACB”, afirmou. Bruno também elogiou a condução do Empreender e falou da importância de aproximar os Sebraes estaduais das Federações ligadas à CACB, para concentrar energias em bons projetos, que gere receitas e entregue serviços às empresas. Serviços O diretor de Serviços da CACB, Maurici Dias Gomes, fez uma apresentação sobre os produtos e serviços que a CACB oferece à rede e falou sobre a criação do Comitê que tem debatido o tema com representantes das 27 Federações da rede. “Temos feito encontros muito produtivos em que o principal objetivo é a troca de experiências e a interação mais próxima com soluções empresariais que têm obtido êxito e que são oportunidade para o desenvolvimento de novos negócios”, disse. Ainda sobre o tema, o 1º vice-presidente da CACB, Ernesto Reck, disse que vamos, com convicção, construir uma CACB muito forte e com muitos produtos a serem disponibilizados à rede. “Como já dissemos, 2022 foi o ano para entendermos os processos, mas, em 2023, tiraremos essas ideias do papel e ganharemos fôlego para crescermos”, afirmou. CMEC A

Black Friday: 65% dos consumidores vão às compras, e ticket médio será de R$ 491, diz pesquisa da Boa Vista

Fonte: Boa Vista Serviços Pesquisa realizada pela empresa de inteligência analítica Boa Vista mostra que 65% dos consumidores irão às compras na Black Friday de 2022. Na edição de 2021, eram 67% os consumidores com intenção de compra. Em termos de ticket médio, o valor dos gastos previsto para este ano será de R$ 491,00, contra R$ 456,00 no ano anterior. “Neste ano, o planejamento tem sido priorizado para as compras durante a data. Diminuiu o percentual de consumidores que pretendem se beneficiar de ofertas de ocasião ou comprar por impulso. Os consumidores estão mais conscientes em relação aos seus gastos, o que é compreensível, dado o momento econômico do país”, explica Flávio Calife, economista chefe da Boa Vista.  A pesquisa da Boa Vista identificou também que 35% não farão compras nesta data – no ano anterior, eram 33%. A principal razão é a percepção de desvantagem de comprar na data, passando de 21% em 2021 para 28% atuais. O aumento dos preços surge em segundo lugar com 20% das menções (eram 27% em 2021). Outros motivos apontados foram a contenção de despesas (17%), endividamento (15%), priorização de outras contas (12%), redução da renda e desemprego (7%).  Eletrodomésticos e eletrônicos seguem como itens os mais procurados  Assim como em 2021, os eletrodomésticos despontam como os itens mais procurados na Black Friday de 2022, com 55% das menções. Já para 46% a opção será por eletrônicos, 38% por celulares, 36% por itens de moda e 36% por itens de casa e decoração. Outras categorias também foram apontadas como informática (27%), itens de alimentos e bebidas (16%), lazer e esporte (15%), produtos de saúde, cosméticos e perfumaria (15%), e livros (9%).  Vai pagar como?  A maior parte dos consumidores – 73% – irão optar por parcelar o pagamento, enquanto 27% irão pagar as compras à vista. Entre eles, 42% utilizarão o cartão de crédito, 12% o cartão de débito, 7% dinheiro, 18% outros meios e 21% o PIX/PIX parcelado. Em 2021, apenas 12% pretendiam usar o PIX/PIX parcelado, o que mostra aumento da adesão do público ao meio de pagamento.  Para 82% dos consumidores que pretendem fazer compras durante o período as oportunidades tendem a ser vantajosas, principalmente no quesito preço. 71% dos respondentes alegaram que os descontos despertam maior interesse nas compras. Independente do canal de compra, 41% afirmaram que irão verificar se os preços estão mesmo abaixo dos praticados nas lojas físicas, contra 31% em 2021, demonstrando maior preocupação e atenção do consumidor com o valor que irá pagar. Enquanto isso, 39% dos consumidores pretendem comparar preços em diferentes sites, e 20% já estão acompanhando a variação dos preços ao longo dos meses que antecedem a Black Friday.   Ainda segundo os entrevistados, 53% das compras nesta Black Friday serão planejadas — em 2021, esse índice era de 43%. Já 41% irão priorizar as compras por oportunidade, ao que passo que 5% afirmaram que dependerá da ocasião.   Fraudes na web  A internet ainda será o principal canal para compras durante a Black Friday. Seis em cada dez consumidores, ou 61%, afirmaram que pretendem comprar na data por canais digitais, diminuindo a proporção registrada em 2021, de sete em cada de consumidores. Em paralelo, cerca de quatro em cada dez (39%) irão comprar em lojas físicas.  No entanto, cerca de 59% dos entrevistados disseram que se sentem inseguros ao comprar pela internet. Uma das razões é o crescimento de pessoas – 44% em 2022, contra 37% em 2021 — que sofreram com fraudes em compras anteriores. A principal fraude registrada foi o uso indevido do cartão de crédito por terceiros, com 38% das menções, seguido por golpe em casos de compras em sites falsos, com 21%.  Além disso, 59% dos consumidores declararam que se sentem inseguros em fornecer dados pessoais (em 2021 eram 53%). 41% dos entrevistados alegaram não saber como agir em caso de fraude – uma diminuição de 3 pontos percentuais em relação ao ano passado.   Metodologia  A pesquisa realizada pela Boa Vista para identificar a pretensão de compra dos consumidores para a Black Friday foi realizada entres os meses de setembro e outubro, por meio de questionário estruturado on-line, de autopreenchimento. Contou com a participação de aproximadamente 600 respondentes, de todas as regiões do país. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o grau de confiança é de 90%.

ACICG orienta sobre funcionamento do comércio em dias de jogos do Brasil

A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) informa que as empresas da Capital podem funcionar normalmente durante os jogos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo. Não há legislação que preconize a dispensa de colaboradores nesse caso, por isso, fechar o estabelecimento nesse período é uma decisão de cada negócio. Aos consumidores que decidirem ir às compras no horário das partidas, a Associação Comercial orienta que confirmem previamente com as empresas se haverá atendimento no período.

Associe-se

Cadastro realizado com sucesso!

Em breve você receberá nosso contato.