Cresce número de imóveis comerciais fechados no Centro

Pesquisa da ACICG revela que 211 estabelecimentos

Levantamento realizado pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), entre final de maio e início de junho deste ano, revelou que houve aumento de 5,5% na quantidade de imóveis fechados no quadrilátero que compreende as ruas Rui Barbosa e Calógeras, e as avenidas Fernando Correa da Costa e Mato Grosso, no centro da Capital.

Atualmente, foram identificados 211 estabelecimentos comerciais sem atividade, 11 a mais que a mesma realizada em 2017. O estudo, porém, não contabilizou os prédios com salas comerciais, o que pode ampliar a magnitude do resultado.

De acordo com dados da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems), 1.224 empresas foram extintas até maio de 2018, 33 a mais que os cinco primeiros meses de 2017, quando 1.191 empresários encerram suas atividades no estado. Contabilizando apenas maio deste ano, 247 empresas em foram extintas, segundo o órgão estadual.

Para a diretoria da Associação Comercial, o cenário é reflexo de vários fatores.“O valor dos aluguéis no Centro já é alto e muitos donos de imóveis reajustaram o preço esse ano, dificultando ainda mais para o empresário”, disse Nilson Carvalho, diretor da ACICG.

Na visão da diretora Leni Fernandes, a evolução do varejo nos bairros também contribuiu para a situação. “O comércio dos bairros tem se fortalecido e, com isso, a população mudou seus hábitos de local de consumo”, complementou. A chegada de novos shoppings centers foi outro fator que refletiu no comportamento de compra.

Para o primeiro-secretário da ACICG, Roberto Oshiro, a redução de vagas de estacionamento no Centro, a retirada das fachadas, a burocracia para a reforma de imóveis e a demora da revitalização na região também prejudicaram o comércio. “Além disso, houve aumento significativo da carga tributária sul-mato-grossense, o que impactou o comércio de maneira geral, ocasionando ainda mais prejuízos para os empresários do centro”, acrescentou.

Confira a evolução dos números de estabelecimentos fechados por rua, no quadrilátero que compreende as ruas Rui Barbosa e Calógeras, e as avenidas Fernando Correa da Costa e Mato Grosso:

Rua/ Avenida Imóveis fechados 2017 Imóveis fechados 2018
Calógeras 27 41
14 de Julho 26 25
13 de Maio 19 30
Rui Barbosa 23 27
Fernando Correia da Costa 04 04
26 de Agosto 08 09
7 de Setembro 10 14
15 de Novembro 12 07
Afonso Pena 02 02
Barão do Rio Branco 09 04
Dom Aquino 15 11
Mal. Cândido M. Rondon 08 04
Maracaju 12 10
Antônio Maria Coelho 16 17
Mato Grosso 09 6