Nota de repúdio ao aumento de salários do governador, vice-governador e secretários estaduais

A Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG) repudia veementemente o reajuste de 16,38% nos salários do governador, do vice e dos secretários do Estado, aprovado ontem (18) em regime de urgência pelos deputados estaduais, que, na mesma sessão, aprovaram a vinculação dos salários deles aos salários dos deputados federais, o que pode representar 16,37% de aumento em seus subsídios.

O aumento no salário do governador eleva ainda o teto dos vencimentos de todo o funcionalismo público do Estado, gerando aumento das despesas que já ultrapassaram o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal e comprometendo o pagamento da Folha em 2019.

A decisão é um efeito cascata da aprovação do reajuste de também 16,38% dos salários dos ministros do STF. Em tempos de austeridade, em que um quarto da população vive com menos de R$ 387 por mês e a pobreza extrema já atinge mais de 14 milhões de pessoas, a decisão vai na contramão daquilo que se espera do poder público. A população e os empresários têm feito a lição de casa e cortado custos desde o início da grave crise econômica, em 2014. O mínimo que se espera é que o poder público faça o mesmo.

Em nome da sociedade civil organizada, que não aguenta mais pagar tantos impostos para sustentar a máquina pública, a ACICG solicita ao governador Reinaldo Azambuja que vete o aumento, em nome da Gestão Pública Eficaz prometida na campanha que o reelegeu.

#VetaAzambuja

#JUNTOSFAREMOS