Evento da ACICG e OAB/MS traz ministro da Defesa à Capital

Senador Pedro Chaves viabilizou a presença do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, além de representante do Ministério da Defesa.

No dia 19 de julho, acontece o Fórum Permanente de Segurança na Fronteira de Mato Grosso do Sul, no auditório da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande. Organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS) e a Associação Comercial de Campo Grande (ACICG), o evento tem o objetivo de debater e implementar políticas eficientes de segurança na região fronteiriça.

Abordando o tema “Inteligência, Tecnologia e Desenvolvimento”, o encontro contará com a presença dos ministros da Segurança Pública, Raul Jungmann, além de representante do Ministério da Defesa, devido a viabilização do senador Pedro Chaves, também vice-presidente da ACICG.

“A fronteira é a entrada do contrabando e do tráfico em nosso país, por isso, precisamos de apoio político para defende-la e garantirmos maior segurança aos nossos estados. Além da presença dos ministros, o debate vai contar com a participação de agentes de segurança, como Abin (Agência Brasileira de Inteligência), policiais Federal, Rodoviária Federal, Militar, Civil, Forças Armadas, além de membros do Judiciário, Legislativo e Executivo”, comentou Pedro Chaves.

Com aproximadamente 17 mil quilômetros de fronteira seca e 7,5 mil quilômetros de fronteira marítima, o país sofre com o crescimento da violência e disputa entre facções na região. Mas a escolha de Mato Grosso do Sul para começar o debate ocorreu devido as fronteiras com Paraguai e Bolívia, rotas de contrabando e tráfico.           

 “A vinda dos ministros significa o reconhecimento da relevância de Mato Grosso do Sul no desenvolvimento de uma política de estado para a segurança pública na região de fronteira. Esperamos que esse fórum resulte em melhorias para a população. É muito importante a plena integração de MS ao Sistema Único de Segurança Pública (SUSP) e o mais relevante de tudo, que se defina, com clareza, quais são as atribuições da União, do Estado, dos Municípios quanto a segurança pública na região de fronteira. Alguns dizem que fronteira é problema da União, mas não, cada um tem sua atribuição. Queremos discutir, de fato, essa articulação e como se dará a coordenação das ações desses atores”, explica a Presidente da Comissão de Segurança Pública da OAB/MS, Claudia Paniago.

O horário do evento ainda está em definição.